Lifestyle

14/06/2017

*Bianca Laufer, fundadora da Greenpeople, entrevista Jackie de Botton

Jackie de Botton é carioca e feliz. Empreendedora de negócios criativos, fundou e desenvolveu várias empresas e projetos na moda, na arte, na música e no cinema, sempre ligando o Brasil com algumas das principais marcas do mundo.

Jackie fez parte da equipe fundadora da Endeavor no Brasil, trabalhou no Fórum Econômico Mundial de Davos e produziu o primeiro TEDx no país. Fundou a OESTUDIO, uma empresa multimídia de design onde liderou projetos como o uniforme olímpico para a equipe Brasileira nos Jogos Olímpicos de Verão de 2008, o reposicionamento de todas as logomarcas da loja de departamentos C&A no Brasil, desenvolveu e coordenou a primeira coleção cápsula das lojas Riachuelo com a Osklen, entre diversos outros.

Além disso, é produtora executiva do documentário indicado ao Oscar Lixo Extraordinário, nomeado também vencedor de 17 prêmios internacionais, incluindo Sundance, Berlim e IDA. Atualmente Sócia & Diretora da The School of Life no Brasil, Jackie não para quieta. É uma pessoa alegre, bem resolvida, de bem com a vida. Seus valores estão sempre presentes em sua essência e nunca deixa de olhar para frente com uma mente aberta e receptiva.

BL: O que mais te inspira no Rio de Janeiro?

JB: A beleza – e como ela é uma fonte de inspiração para o dia a dia.

BL: Existe algum lugar no Rio para chamar de seu, onde você se conecta com você mesmo?

JB: A Praia do Diabo, na ponta do Arpoador, de manhã bem cedinho.

BL: Se não morasse no Rio, qual lugar do mundo escolheria?

JB: Onde fizesse sol durante a maior parte do ano. Ando especialmente fascinada pela África.

BL: Para você, ser feliz significa…

JB: Um bom Wi-Fi (rs), massagens, viagens (sempre room service…), amigos por perto.

BL: Como é ser uma mulher em 2017 e o que mudou nos últimos anos?

JB: Eu só posso narrar a partir da minha experiência pessoal. Ser mulher é parte do exercício de ser humano, tem mais a ver com como você pode ser uma pessoa mais agradável e compreensível, como você se mantém comprometida considerando ideais de normalidade mais amplos e inclusivos em todas as direções e onde o compromisso de ser em todos os sentidos tolerante, amável, justa e respeitosa domina qualquer outra prioridade concorrente.

BL: Vivemos numa época em que todos buscam ser saudáveis, o que de fato é ser saudável na tua visão?

JB: Ser saudável é saber escolher o que é melhor para você.

BL: Você vive entre Rio e São Paulo, como é essa vida de ponte aérea e ao teu ver quais são as principais diferenças entre as duas cidades?

JB: Uma vez um amigo me disse que nenhuma cidade merecia 100% do nosso tempo, e é assim que eu sinto, sou apaixonada e grata por poder desfrutar de ambas cidades lindas e complementares.

BL: Seu empreendimento The School of Life é referência no mundo, conte o que te motiva neste projeto?

JB: Não é novidade que o ensino formal nas escolas e universidades não dá conta de todos os desafios que encontramos ao longo de nossa vida pessoal e na carreira. Foi com a intenção de preencher essa lacuna que surgiu a The School of Life que tem por objetivo desenvolver inteligência emocional através da cultura e ensinar seus alunos a viver bem. A escola é voltada para qualquer um que esteja interessado em viver uma vida mais plena, gratificante e verdadeira. Assim, os cursos não são pautados diretamente por disciplinas (filosofia, psicologia, arte, história…), e, sim, pelas questões e reflexões que fazem parte do nosso dia a dia. ‘Como equilibrar vida pessoal e trabalho’, ‘Como escolher um parceiro’, ‘Como ser mais criativo’ e ‘Como tomar decisões melhores’ são algumas das aulas disponíveis.

BL: Qual é seu Greenpeople preferido?

JB: São dois na verdade, santo suco e d-tox!

MENSAGEM_CONFIRMACAO