Performance

há 3 dias

*Márcio Schiefer, ortopedista

Você sabe o que é bursite no ombro? Antes de mais nada, vale a pena explicar o que é a bursa! A palavra bursa vem do latim e significa bolsa. Ela está presente em algumas regiões de atrito no corpo humano, como ombro, cotovelo, joelho e pé. No ombro, a bursa protege o tendão supraespinal do impacto contra o acrômio, aquele osso na parte de cima do ombro. Por isso, chama-se bursa subacromial.

Em condições normais, as paredes desta "bolsa" estão "coladas" entre si, isto é, sem líquido em seu interior. Entretanto, quando há atrito excessivo, ocorre produção de líquido no interior da bursa, como numa tentativa de proteger ainda mais o tendão.

O atrito excessivo na bursa ocorre quando existe contato demais entre o tendão suprarespinal e o acrômio. Isto costuma ocorrer em situações de esforço exagerado, especialmente se o ombro estiver levantado acima de 90 graus (isto é, em muitas atividades com as mãos acima da cabeça). Isso não significa dizer que estas atividades não devem ser realizadas. Significa, porém, que devem ser feitas com cautela e, principalmente, observando o bom posicionamento escapular.

Ou seja, durante os exercícios que exigem movimentos com as mãos acima da cabeça (musculação, tênis, vôlei, handball etc.), é fundamental que os músculos da cintura escapular funcionem de forma coordenada para reduzir a chance de ocorrer bursite.

Além disso, a capacidade de realizar estes tipos de esforços aumenta com o progresso gradual dos treinamentos. Um erro muito comum que pode levar à bursite é realizar esforços acima da sua capacidade naquele momento, sem a adequada preparação para isso.

O problema é que a distensão das paredes da bursa causam dor. Quando ocorre isoladamente, a bursite responde bem ao tratamento com anti-inflamatórios e fisioterapia. Porém, é muito importante identificar e corrigir os fatores que levaram à ocorrência da inflamação. Caso contrário, o problema poderá recorrer.

Márcio Schiefer é médico ortopedista, mestre pela UFRJ e membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (SBCOC) e da Sociedade Brasileira de Trauma do Esporte (SBRATE), com especialização na Suíça e na França. Já foi atleta federado de Muay Thai, mas atualmente pratica corrida e natação diariamente, apesar da rotina de trabalho agitada.

MENSAGEM_CONFIRMACAO