Nutrição

15/02/2018

*Por Priscilla Martins, endocrinologista

Quando você está superfocado na dieta e dá aquela vontade incontrolável de comer um doce, o que você faz? Vou contar o que eu faço sem hipocrisia ou purismos: corro para a cozinha e preparo algum doce fit, muitas vezes com adoçante, ou procuro uma bebida de baixa caloria para saciar aquela vontade momentânea. Geralmente fico satisfeita e sigo normalmente com o meu plano alimentar.

Muito se fala sobre os adoçantes. Bem e mal. No meu dia a dia, observo que ele pode ser um excelente aliado, se usado com sabedoria, na perda ou manutenção do peso.  Isso foi discutido recentemente em uma revisão realizada pelo professor Peter Rogers, da Universidade de Bristol. Ele pesquisou sobre as 3 principais teorias atualmente discutidas sobre os adoçantes: 

A teoria de que o adoçante seria visto pelo corpo como um alimento doce o que geraria aumento de peso;

O uso de adoçantes sendo relacionados ao vício pelo sabor doce;

Lei da compensação no uso de adoçantes: não usarei açúcar, mas acabarei compensando consumindo outros alimentos calóricos.

Nenhuma das teorias tem evidência científica suficiente para sustenta-lás, ou seja, nada disso foi comprovado cientificamente.

Isso quer dizer que posso ficar absolutamente tranquilo em consumir muito adoçante sem preocupações? Não é bem assim. Existem muitos questionamentos sobre os adoçantes influenciando na flora intestinal ou no desenvolvimento do diabetes.

Então o ideal é consumir os alimentos in natura e usar o mínimo possível de adoçantes. Mas, em alguns momentos, ele pode e deve ser usado como recurso para matar a vontade de um doce ou para substituir o açúcar em preparações e bebidas. Use com moderação! Quanto? 6 gotas na bebida ou 1/2 sachê ou 18 gotas por dia ou 2 sachês ao dia. Diga não ao terrorismo nutricional e seja feliz! 😉

MENSAGEM_CONFIRMACAO